Skip to content
março 26, 2010 / ASCOM

Choque de Ordem na Zona Sul do Rio prende 14 flanelinhas

Uma operação Choque de Ordem deflagrada pela Secretaria Especial da Ordem Pública (Seop), na noite desta quinta-feira, prendeu 14 flanelinhas, sendo 1 menor, com 17 anos, que extorquiam motoristas em ruas do Leblon, na Zona Sul do Rio. Dentre os detidos, cinco deles permanecerão presos já que sete vítimas, entre elas quatro mulheres, prestaram queixa na 14ª DP (Leblon) confirmando que sofreram a extorsão quando estacionavam seus veículos na Avenida Borges de Medeiros, em frente ao Clube Monte Líbano – entre Lagoa Rodrigo de Freitas e Leblon.

O Choque de Ordem teve início às 21h quando 20 agentes da Subsecretaria de Operações e da Operação Bacana da Seop, divididos em quatro equipes, agiram simultaneamente na Avenida Borges de Medeiros, em frente ao Clube Monte Líbano, Rua Dias Ferreira, Rua Conde de Bernadote e Avenida Ataulfo de Paiva.

Uma hora antes da ação, policiais da 14ª DP filmaram parte dos flanelinhas trabalhando em conjunto na Borges de Medeiros, em frente ao Clube Monte Líbano, o que caracteriza a formação de quadrilha. Em outros casos, vítimas reconheceram os guardadores na delegacia, confirmando a extorsão.

– Nossa estratégia foi chamar um reboque logo depois que prendemos os flanelinhas. Com isso, motoristas apareceram rapidamente para evitar que seus carros fossem levados, e parte deles se prontificou a ir à delegacia tentar identificar os guardadores que estavam no local quando eles estacionaram – explicou o subsecretário da Seop, Ruchester Marreiros.

Os guardadores não autorizados de veículos agiam em grupo durante a noite loteando áreas do Leblon e serão indiciados por formação de quadrilha e extorsão. Todos os adultos foram levados para a 14ª DP no Leblon e o menor foi encaminhado para o Centro de Triagem e Recolhimento (CTR), na Ilha do Governador.

“Estamos desenvolvendo um trabalho intenso junto com a Polícia Civil para retirarmos das ruas estas pessoas que extorquem os motoristas”, afirmou Rodrigo Bethlem, secretário da Ordem Pública.

Como a ação de guardadores ilegais está relacionada ao ordenamento do espaço público, a Seop atua em parceria com a Polícia no sentido de coibir esta atividade irregular enquadrada no art. 47 da Lei de Contravenções Penais, exercício ilegal da profissão, que contribui também para o estacionamento irregular.

Fonte: Jornal Correio do Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: